Vantagens E Desvantagens

MENU

BENEFÍCIOS TECNOLÓGICOS APLICADOS À EDUCAÇÃO: VANTAGENS E DESVANTAGENS


  • Rosana Palmieri

Caro leitor,

seja na vida profissional ou pessoal, vivenciamos no século XXI o rápido avanço tecnológico, onde a informática e as telecomunicações estão inseridas cada vez com maior freqüência nas tarefas do dia-a-dia, atingindo importância relevante - automaticamente nos servimos deste suporte tecnológico, por vezes até sem perceber…

Mas qual a influência da tecnologia no aprendizado de um idioma?
E o comportamento do consumidor enquanto aluno/estudante desta realidade que se apresenta?
Quais suas atuais expectativas e necessidades?

Não podemos esquecer que, apesar da globalização ser um fator acelerador na necessidade de comunicação e, vermos assim acentuada a necessidade de comunicação universal, pode estar embutido um certo risco quando o assunto é o aprendizado. Não se pode focar somente em tecnologia em detrimento à qualidade do ensino.

O e-learning pode e deve se beneficiar da alta tecnologia para oferecer o ensino àqueles culturalmente preparados, sem nos esquecermos que a tecnologia é uma ferramenta, não uma estratégia.

O consumidor hoje é muito mais bem-informado, mais consciente e exigente, solicitando uma alta qualidade do serviço a ele prestado, também intimamente ligado ao fator investimento financeiro.

Qual é o histórico do ensino a distância?

Diferentemente do que se pensa, a educação a distância não tem o seu começo na história marcado pelo surgimento das novas tecnologias. Alguns autores apontam que a experiência mais antiga de educação a distância da qual se tem conhecimento são os manuscritos, como as cartas de Platão e as Epístolas de São Paulo.

A invenção de Guttenberg, a máquina de impressão, proporcionou o primeiro avanço tecnológico para evolução da educação a distância. Com esse advento, a palavra escrita poderia ser reproduzida em larga escala. A partir do final do século XVIII, com o grande desenvolvimento do serviço postal na Europa, surgiram as primeiras experiências de educação por correspondência. No decorrer do século XIX até meados do século XX, esta era a única forma de educação a distância da qual se tinha conhecimento.

A partir de então, a educação a distância passou a ser influenciada pelos novos meios de comunicação de massa: o rádio e, depois, a televisão. Através desta tecnologia, com a disponibilização de som e imagem, a sala de aula poderia ser reproduzida e enviada para a residência e/ou escritório do aluno.

No entanto, havia uma grande barreira, pois a comunicação era unilateral - apenas o professor poderia transmitir informações ao aluno, sem nenhuma interface. Telefone e conferências telefônicas passaram a auxiliar o processo de ensino por correspondência, proporcionando comunicação entre professor - aluno em cursos por correspondência, porém, com custos elevados.

Com o surgimento da tecnologia da comunicação mais sofisticada, as redes de computadores, as correspondências eletrônicas e a Internet passam a ser as principais alternativas de comunicação entre alunos e professores, bem como entre grupos de alunos.

Nos dias atuais, muitas pesquisas vêm sendo realizadas no sentido de fornecer e expandir a comunicação através de vídeo, em dupla via, utilizando satélites e redes de comunicação.

E qual o percentual de pessoas que acessam a Internet?

Ouso definir que a Internet é uma biblioteca mundial, de fácil utilização e atualização, porém, ainda um veículo de comunicação não tão acessível para a grande maioria dos brasileiros. Mas, segundo dados estatísticos, o acesso à Internet vem crescendo a passos largos no Brasil!

Como vem sendo a evolução do e-learning e qual o seu papel?

Hoje, contamos com uma grande quantidade de ofertas de aprendizado online, por meio de diferentes portais, quer de universidades, de empresas ou mesmo de pessoa física. No entanto, o ensino a distância no país só foi regulamentado em 1996. E, ainda assim, a legislação que determina os tipos de cursos que podem/devem ter autorização do MEC está em constante debate. Também não há unanimidade quando o tema é como serão as avaliações, pois os cursos a distância não podem ser uma redução ou simplificação dos tradicionais e seu certificado deve ter a mesma validade.

**Como o e-learning deve ser apresentado e suas vantagens… **

Enquanto consumidor, é preciso que se faça uma análise geral da proposta apresentada. O programa de aprendizado deve incluir recursos instrucionais que não sejam simplesmente uma reprodução do que ocorre no espaço físico, na sala de aula. Não basta haver só a transferência de canal de comunicação. É claro que o conteúdo comunicativo de aprendizado é o mesmo, mas deve proporcionar, além das tradicionais lições e textos para leitura, atividades interativas, tais como simulações e testes baseados em fatos reais.

Uma grande vantagem é a possibilidade da constante revisão e atualização do conteúdo programático, imenso se comparado aos dados contidos nos livros, que não aceitam atualizações e ficam ultrapassados rapidamente. A multimídia, utilizada na composição do programa, é mais um recurso motivador no e-learning.

As ações e recursos utilizados em sala de aula, onde o professor introduz teoria, conceitos e exercícios práticos, avalia o desempenho dos alunos e responde às mais diversas dúvidas, prestando in loco todo suporte interativo face a face, precisam ser reproduzidos no modo e-learning, tentando assim aproximá-lo ao máximo do curso presencial.

Tempo e conveniência são fatores de considerável vantagem. A Internet apresenta-se como uma opção de estudo no tocante à economia de tempo - não é preciso mais se deslocar até o local de treinamento. No atual universo globalizado, com excessivo acúmulo de atribuições e tráfego intenso nos grandes centros urbanos, a economia de tempo para deslocamento é um fator de considerável importância.

Com o e-learning é possível acomodar a agenda e a disponibilidade do aprendizado é de 24 horas por dia, 7 dias por semana. Basta ter disciplina! (Está aqui o grande desafio, aprender a ter disciplina, característica comportamental de extrema importância para o sucesso do ensino a distância).

A velocidade de aprendizado é personalizada. O aluno faz sua agenda de estudo, tornando-o mais ou menos rápido, de acordo com sua disponibilidade de tempo, necessidade e interesse.

Resumindo, a opção pelo estudo a distância muda a rotina de todos os envolvidos: alunos, professores e escolas. O aluno não precisa mais estar fisicamente se deslocando até a escola para adquirir conhecimento: a escola vai ao aluno, com uma proposta personalizada, em qualquer lugar, nos mais diversos horários.

E como fica a sala de aula face ao e-learning? E as desvantagens?

Embora o e-learning tenha muito a contribuir, ele não significa em absoluto o final do aprendizado em sala de aula. Resultado de pesquisas sobre ensino e aprendizado aponta que as pessoas aprendem melhor quando podem interagir umas com as outras, pois elas têm a oportunidade de ir além da interação com o conteúdo: a troca de informações e compartilhamento de conhecimentos, bem como a intervenção do professor possibilitando correções inerentes ao processo de aprendizagem, é insubstituível!

Outros fatores relevantes que influenciam o consumidor pela decisão de não compra do estudo online:

acesso aos equipamentos que permitem a conexão com a Internet dificultado pelos custos ainda elevados a uma considerável parcela dos consumidores brasileiros;

resistência por parte do ser humano à mudança e à aceitação do novo;

opção de estudo, em geral, solitária, criando isolamento social.

A falta de contato humano pode ter impacto no tocante a aspectos psicológicos, podendo até mesmo comprometer o resultado do aprendizado.

A decisão de escolha, como sempre, é muito pessoal. Deve-se considerar que nem todos os treinamentos podem ou devem ser realizados exclusivamente pela Internet. Vantagens e desvantagens existem em uma opção única e exclusiva.

A tendência do e-learning é a de vir, sem dúvida, a complementar o aprendizado em sala de aula. Há uma sinergia entre o e-learning e o aprendizado em sala que se tornam mais refinados a cada dia, com contribuições exclusivas, agregando valor ao consumidor, que só tem a ganhar com a fórmula combinada.

Mas não se deve perder de vista a certeza de que, sem disciplina, o ensino a distância pode agregar menos do que o desejado. Como sempre, depende de cada um de nós maximizar os benefícios existentes no mundo em avanço tecnológico constante.

Se você tem alguma dúvida, encaminhe um e-mail para rb.moc.be-ifen|ifen#rb.moc.be-ifen|ifen e a equipe de coordenação da NEFI-English & Business terá imenso prazer em poder ajudá-lo.

* Rosana A. Palmieri é fundadora e diretora executiva da escola de idiomas NEFI-English & Business que há 18 anos atua junto a empresas nacionais e multinacionais na formatação de projetos personalizados de estudos dos idiomas espanhol, francês, inglês e português para estrangeiros. Responsável pela parceria, no Brasil, com a multinacional norte-americana GlobalEnglish no tocante ao ensino através de e-learning. Graduada em Letras e Arquitetura, com MBA em Marketing de Serviços pela USP. É responsável pelos negócios estratégicos da empresa.

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 250ª Edição